Recibos de aluguel de Lula apresentam datas inexistentes

Lula apresenta contrato de aluguel

Todos com a letra de Costamarques. Dois desses recibos apresentam datas que não existem.

Em nota, a defesa do ex-presidente alega que os erros apresentados nas datas dos vencimentos dos aluguéis "não não tem qualquer relevância para o valor probatório dos documentos". Lula afirmou que ia verificar com o seu contador onde os documentos estavam. Além disso, a defesa de Costamarques informou ao GLOBO que todos os recibos de 2015 teriam sido assinados de uma única vez. O empresário ficou hospitalizado entre 22 e 28 de novembro para colocação de um stent. Devem ser solicitadas imagens do circuito interno de TV do hospital para comprovar as visitas do contador.

Caso comprovada, a fraude pode ser classificada como tentativa de obstrução da Justiça por parte de Lula e seus advogados. Na 7ª Fase da Lava-Jato, recibos de pagamentos por serviços não prestados, apresentados à Justiça do Paraná pelas empreiteiras denunciadas por cartel, foram usados entre os argumentos para o pedido de prisão preventiva da cúpula de diversas construtoras.

Entre os 26 recibos apresentados, dois informam datas inexistentes, 31 de junho de 2014 e 31 de novembro de 2015, como término do período de locação do apartamento. No entanto, se considerado o intervalo entre o dia que a ex-primeira-dama Marisa Letícia assinou o contrato de locação - fevereiro de 2011 - e dezembro de 2015, a data do último registro, 33 comprovantes deixaram de ser entregues, assim como os documentos bancários sobre a forma de pagamento dos aluguéis. "A acusação, portanto, não se sustenta e, por isso, querem tentar desacreditar a defesa que, a cada dia, vem demonstrando, com argumentos sólidos, inúmeras violações às garantias fundamentais para buscar a qualquer custo e sem provas, condenar uma pessoa inocente", diz o advogado. O imóvel é objeto do processo em que Lula é investigado por ter recebido propina da Odebrecht. Para a Lava-Jato, o empresário é intermediário de uma negociação suspeita.

Lula apresenta contrato de aluguel
Defesa de Lula apresenta a Moro recibos de aluguel de cobertura em São Bernardo do Campo

O Ministério Público acusa o ex-presidente de ter recebido o apartamento vizinho ao que mora, em São Bernardo do Campo, como pagamento da Odebrecht pela conquista de contratos com a Petrobras.

Na denúncia, o MPF disse que "a nova cobertura, que foi utilizada pelo ex-presidente, foi adquirida no nome de Glaucos da Costamarques, que atuou como testa de ferro de Luiz Inácio Lula da Silva, em transação que também foi concebida por Roberto Teixeira, em nova operação de lavagem de dinheiro".

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é alvo de investigações da Lava Jato. O ano de 2015 tem o maior número de recibos - dez - com valores de R$ 4.170 e de R$ 4.300. Tendo isso em vista, Moro questionou Lula se ele teria algum comprovante de pagamento de aluguel ao empresário.

Foi o juiz Moro [VIDEO] que recomendou a Lula que esses comprovantes deveriam ser anexados ao processo.

Relacionada:

Comentarios


Otras noticias